Marvin Gaye príncipe do Soul faria 70 anos

Marvin Gaye

Marvin Gaye o Príncipe do Soul faria 70 anos dia 2 de abril e faz 25 anos de sua morte.
No dia 1° de abril sua voz foi calada por seu pai com um tiro no peito, após uma de muitas discussões entre os dois.
Sua vida musical é como de muitos artistas negros-americanos, com três anos começou cantando na igreja e tendo aulas de piano e bateria.
Seu talento na bateria pode ser ouvido em canções como “Please Mr. Postman”, dos Marvelettes, em 1961, e para Little Stevie Wonder, “Fingertips Pt. 2”, em 1963, músicas que alcançaram o primeiro lugar na Billboard. E a primeira gravação solo foi o álbum “Soulful Moods”, do ano de 1961 e segundo disco do catálogo da gravadora Motown.
Stevie Wonder cantou “Light A Love” durante o funeral de Marvin Gaye, no dia 5 de abril de 1984.

Duetos inesquesíveis

Marvin Gaye sempre se deu bem ao lado de cantoras. Alguns de seus maiores trabalhos foram duetos. Seu primeiro disco de sucesso, “Together”, de 1964, foi gravado ao lado de Mary Wells.

Mas foi ao lado de Tammi Terrell que Gaye alcançou grande êxito, produzindo diversos hits nas paradas de sucesso norte-americanas como “Ain’t No Mountain High Enough”, que logo foi seguido por “Your Precious Love”, “Ain’t Nothing Like the Real Thing” e “You’re All I Need to Get By”.

Canções compostas pelo casal Nickolas Ashford e Valerie Simpson, transformando o álbum “United” (1967) num clássico instantâneo. A morte prematura de Terrell, aos 24 anos, em decorrência de um tumor no cérebro em 1970, deixou Marvin Gaye devastado.

Em 1973, o músico voltaria a gravar em dueto, desta vez com a amiga Diana Ross, parceira desde os tempos do The Supremes.

Obra-prima da música

A morte de Terrell, em 1970, e (principalmente) o retorno de seu irmão, Frankie, do Vietnã em 1967, fizeram Marvin Gaye redirecionar sua carreira, deixando o romance de lado e entrando de cabeça em questões políticas que atingiam os EUA.

Esse amadurecimento de Gaye resultou em sua obra-prima, o álbum “What’s Going On”, de 1971. Neste disco o músico realizou as melhores performances de sua carreira em canções como “Mercy Mercy Me (The Ecology)” “Inner City Blues (Make Me Wanna Holler) e “Save the Children.”, além da própria faixa título.

Para este trabalho Marvin Gaye contou com os melhores músicos da Motown como o baixista James Jamerson, o guitarrista Joe Messina e o saxofonista Eli Fountain. Detalhe, inicialmente Berry Gordy Jr. não queria lançar o single de álbum “What’s Going On”, e após seu sucesso, encomendou o álbum seguindo a mesma linha.

Álbuns que ficaram na história

Após a consagração com “What’s Going On”, em 1971, Marvin Gaye lançaria ainda outros dois discos extremamente significantes: “Let’s Get It On”, de 1973, e “Midnight Love”, de 1982.

Ambos com um clima bem sexy, bem diferentes das letras políticas e socialmente carregadas de “What’s Going On”. O primeiro trazia os hits “You Sure Love to Ball” e a faixa título, “Let’s Get It On”, uma das canções mais sensuais de Gaye.

O  “Midnight Love” foi o último disco lançado por Gaye antes de sua morte, dois anos depois. Neste álbum está um dos maiores sucessos da carreira do músico, “Sexual Healing”, que se tornou o single que ficou maior tempo em primeiro lugar na parada de r&b da “Billboard”, 10 semanas seguidas. E rendeu dois prêmios Grammy ao cantor.

Fonte: Abril

Em 1980 com seu filho Frankie.


Capa de disco ” Diana  & Marvin ” lançado pela gravadora Motown

30 anos de sua morte Marvin Gaye Música príncipe do soul Soul

Artigos Relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*